• Carol

Expresso África - Cruzando a Tanzania de Trem

Usar transporte local é uma das melhores formas de ter imersão cultural, além de uma excelente oportunidade de desbravar o interior do país saindo dos focos turísticos.


Estávamos em Zanzibar e nosso objetivo era chegar até o Malawi. Sem dúvida a opção mais óbvia e pratica seria pegar o voo para Lilongwee, capital do país, mas claro que decidimos explorar os mil quilômetros de distância de uma forma diferente.


Uma delas, e o trecho mais longo, foi utilizando o trem da Tazara, conhecido como o caminho de ferro entre Tânzania e Zâmbia. Sâo 1.860 km em sua totalidade, conectando o porto de Dar es Salaam na Tanzania até a cidade de Kapiri Mposhi na Zâmbia. Essa linha foi construída nos anos 70 e completamente financiada pela China, com um custo de USD 400 milhões (o equivalente a aproximadamente 2,7 bilhões na atualidade).

O objetivo deste trecho era o transporte de cargas, porém após o fim do Apartheid e a independência da Namíbia o volume foi reduzindo e hoje é principalmente utilizado no transporte de passageiros.


Aqui também nosso vídeo no Youtube mostrando cada detalhe:


Desde que foi inaugurado nos anos 70 pode-se notar que não houve muita renovação então você vai encontrar o aspecto ainda muito antigo em todas as classes. Agora vamos ao que interessa:


Compra e reserva de tickets


Não é possível realizar a compra e nem mesmo a reserva pela internet. Portanto as opções são:

  • Compra pessoalmente na bilheteria (o mais seguro e barato);

  • Compra através de uma agência de viagem (neste caso será incluído a comissão)

  • Realizar a reserva pelo telefone

Nós fizemos somente a reserva pelo telefone pois não queríamos pagar uma agência e como chegamos em Dar es Salaam no mesmo dia da saída do trem, não conseguiríamos realizar a compra presencial.


Confesso que o contato não foi muito fácil, tentamos os telefones do site, porém não conseguia ser atendida ou não entendiam inglês. Então depois de muitos contatos consegui o número de celular de um dos funcionários e realizei a reserva pelo whatzapp. Vou deixar aqui o contato que nos salvou: +255 713 225 292


É importante a realização da compra ou reserva com antecedência devido a limitação de assentos na primeira classe.


Datas e horários


O trem sai todas as Sextas de Dar es Salaam (Tanzania) e as Terças de Kaipiri- Mposhi (Zambia):

Fonte: Tazara site

Conforme o próprio site diz, essas horas são somente um indicativo e isso não poderia ser mais verdade como viríamos a descobrir. Nós esperávamos sair na Sexta e o trem teve um problema e chegou um dia depois, portanto tivemos que passar uma noite em Dar es Salaam e saímos somente no Sábado.


No dia

Chegamos na estação algumas horas antes do programado, pois não sabíamos exato se sairia na mesma hora do dia anterior. Tem uma salinha reservada para a primeira classe, que na verdade ninguém checa, mas é quente e pequena, sendo mais agradável ficar na área principal.

As comunicações não são em inglês portanto fomos copiando as movimentações, de formar a fila, checar o ticket e buscar nosso vagão.

Já dentro do trem existe a verificação do bilhete mais algumas vezes e a dica é guardar o ticket pois é necessário para sair da estação.

A longa espera na ferroviária

Preços

Os preços vão variar de acordo com o seu destino final. Nós fomos até Mbeya, ainda na Tanzania e cidade próxima a fronteira do Malawi. Os preços neste caso são (Fev/2022):


Primeira classe: TSH 47200 (R$ 106)

Segunda classe: TSH 39200 (R$ 89)

Super assento: TSH 36300 (R$ 82)

Terceira classe: TSH 33300 (R$ 75)


Para ir até o ponto final na Zâmbia, os valores são:


Primeira classe: TSH 86500 (R$ 195)

Segunda classe: TSH 70600 (R$ 160)

Super assento: TSH 65600 (R$ 148)

Terceira classe: TSH 60500 (R$ 136)


Classes


Primeira classe

Como vocês podem ver o preço faz pouquíssima diferença, portanto caso você tenha condições não pense duas vezes e escolha a primeira classe. São 4 camas na cabine, e não pode misturar homem e mulher (mesmo casados), caso estejam em casal e queiram ficar na mesma cabine, é necessário reservar as 4 camas ao invés de 2.


Duas camas em cima e duas embaixo na primeira classe
Frio não passarás rs

Segunda classe

É praticamente igual a primeira, porém com 6 camas ao invés de 4.


Super assento

Aqui não temos mais camas, é como se fosse um assento um pouco mais confortável e melhor que a terceira classe.

Super assento

Terceira classe

São assentos mais desconfortáveis e pelo que pudemos ver estão em condições bem ruins de conservação.

Terceira classe

Alimentação


O trajeto é longo, mas não vai passar fome. O trem conta com um restaurante com alimentações bem gostosas e baratas.

Nós pegamos por exemplo um prato com arroz, frango, batatas fritas e saladas por TSH 5000 (R$ 11) e um refrigerante custa TSH 1000 (R$ 2,20).

Você pode solicitar tanto na cabine quanto no restaurante. Nós utilizamos bastante o vagão de alimentação, até para caminhar e espairecer, mas principalmente pq era onde nos encontramos afinal estávamos em cabines separadas.

Além disso muitos ambulantes vendem comidas, lanches e bebidas pela janela do trem.


O trajeto

A previsão era de uma viagem de aproximadamente 20 horas até Mbyea, porém demoramos cerca de 30 horas pois o trem quebrou já nas horas finais.


Descobrimos que isso era MUITO comum, portanto não façam planos contando a hora de chegada, afinal embarcamos um dia depois e chegamos com muitas horas de atraso.

Até o destino final são aproximadamente 50 horas de viagem.


O trajeto é cercado por natureza, inclusive passando pelo parque nacional Kasanka, na qual alguns passageiros sortudos conseguiram inclusive avistar alguns animais. Infelizmente passamos pelo parque já a noite e não conseguimos ver muitas coisas, mesmo assim as paisagens são de tirar o folego.


Acabamos explorando áreas muito rurais e subdesenvolvidas e vimos muitas crianças pegando garrafas pet para vender, vilas totalmente afastadas, sem energia elétrica ou boas perspectivas. É realmente de cortar o coração, vimos inclusive que o grande momento da semana era a passagem do trem em que todos se reuniam para dar um tchauzinho.

Interação durante as paradas

No fim das contas, valeu a pena?


Sim sem dúvida, a experiência que vivemos foi cansativa mas intensa e faríamos tudo novamente, talvez com a esperança de não ter muito atraso rs.


Carol

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo